Psicologia

Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)

“O que perturba o ser humano não são os fatos, mas a interpretação que ele faz dos fatos”
Epitetus  

Todos os dias esperamos acordar felizes, mas muitas vezes isso não acontece e sentimos medo, tristeza, ansiedade, estresse ou raiva…

A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) se fundamenta na premissa de que as interpretações distorcidas que desencadeiam determinados pensamentos automáticos de origem negativa, catastrófica, gerando emoções desagradáveis e difíceis de lidar. Considerando que o modo como as pessoas se sentem está relacionado com a interpretação dada aos eventos específicos, pode-se dizer que não é a situação em si que determina o estado afetivo, mas sim a interpretação pessoal, o significado que cada um dá aos eventos que ocorrem ao longo da sua vida.

O modelo cognitivo baseia-se na interação entre pensamento, emoção e comportamento, ou seja, mudanças no pensamento promovem mudanças emocionais, comportamentais e vice-versa.

Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT)

A felicidade e a liberdade começam com a compreensão de um princípio: 
algumas coisas estão sob nosso controle e outras não. Somente depois de ter enfrentado esta regra fundamental 
e termos aprendido a distinguir entre o que podemos controlar e o que não, será possível ter a tranquilidade interior e a eficácia exterior”.
Epítetus 

A terapia de aceitação e compromisso (Acceptance and Commitment Therapy, ACT) é considerada uma abordagem de terceira geração. Associa processos de aceitação e atenção a processos de compromisso e mudança de comportamento para a criação de uma flexibilidade psicológica. É uma forma de psicoterapia experimental comportamental e cognitiva baseada na teoria do marco relacional da linguagem e da cognição humana. Destaca o papel da esquiva experimental, fusão cognitiva, ausência ou enfraquecimento dos valores e da rigidez ou ineficácia comportamental.

Melhor explicando:

Pense em algo bem difícil que você fez e que agora, depois de todo esforço feito, se orgulha. Mas enquanto realizava, quantas vezes pensou: “Não vou conseguir, nunca vai dar certo, sou incapaz…” ou se sentiu esgotado, com medo, ansioso…

Se você continuou indo em direção ao que gostaria de atingir, mesmo na presença desses pensamentos e sentimentos, e não fez a esquiva emocional, ou seja, não fugiu ou tentou anestesiar suas emoções, você certamente chegou onde gostaria.

Se toda vez que sentirmos algum desconforto emocional tentarmos fugir, vamos construir uma vida em torno da evitação, daquilo que não queremos.

Para que isso não ocorra, é importante nos conectarmos com nossos valores.

Não podemos viver o amor sem o medo de perde-lo.

Não podemos mudar para melhor sem a presença do medo de estarmos mudando para pior.

Essa é uma condição humana.

Podemos cultivar muitas habilidades e entre elas sentir e ouvir pensamentos, sentimentos difíceis e, mesmo assim, nos mover em direção daquilo que valorizamos.

Isso é flexibilidade psicológica.

Isso é ACT – Nos ajuda a construir uma vida valiosa.

Avaliação Psicológica

O processo de avaliação psicológica é caracterizado pela coleta, análise e integração de informações de uma pessoa. É realizada por meio de um conjunto de instrumentos, que tem como objetivo verificar características psicológicas e cognitivas para melhor entendimento da pessoa. Essas características abrangem potencialidades e dificuldades cognitivas, características de personalidade, padrões repetidos de comportamento que não são saudáveis, ou conflitos que a pessoa possa estar vivendo. A partir dessas características, é possível traçar um perfil psicológico que vai auxiliar na busca de uma intervenção psicoterapêutica eficaz para o caso da pessoa.

Os instrumentos utilizados dependem muito de cada caso, mas, no geral, verificam o estado atual de todas as funções cognitivas (memória, atenção, linguagem, funções executivas e habilidades visuoespaciais) e os aspectos de personalidade (nível de agressividade, empatia, estado de humor, nível de persistência, afetividade, entre outros).

A avaliação psicológica também é realizada em casos de orientação vocacional, para esclarecer alguma hipótese diagnóstica prévia, para identificar problemas cognitivos e de comportamento que podem estar interferindo na escola ou no trabalho, para auxiliar em processos judiciais e para seleção de candidatos a uma vaga de emprego.